Documentário “Os Cantadores de Paris” exibido na capital francesa

0

O documentário “Os Cantadores de Paris”, do realizador Tiago Pereira, sobre jovens de diferentes nacionalidades que criaram um grupo de cante alentejano, foi exibidona capital francesa.O filme foi apresentado, pela primeira vez em França, na Maison des Auteurs, em Paris, na presença do realizador e de vários participantes do documentário.”Os Cantadores de Paris” estreou­se em outubro no DocLisboa e começou a ser rodado em fevereiro, com concertos improvisados em locais emblemáticos de Paris e em Serpa.O filme surgiu na sequência da criação de um grupo de Cante Alentejano com pessoas de várias nacionalidades e apenas duas portuguesas, que aprenderam o repertório através do ‘site’ do projeto “A Música Portuguesa a Gostar Dela Própria”, fundado por Tiago Pereira.”O cante alentejano, como todos os cantes folclóricos, acontecem através da transmissão oral. Nós, aqui, estamos a fazer o impossível porque não há ninguém para nos transmitir isso. Esse impossível só acontece graças aos tempos de hoje, ou seja, graças à internet. Vi vídeos na internet da ‘Música Portuguesa A Gostar Dela Própria’, fui aprendendo essas músicas e fui passando para o grupo”, o diretor artístico do grupo, Carlos Balbino, numa entrevista em maio.O Rancho de Cantadores de Paris nasceu, em 2016, com a criação de uma peça de teatro, “La Dernière Corrida” (“A Última Tourada”), da companhia Rêves Lucides, na qual Carlos Balbino levava ao palco o cante alentejano e o tema das touradas.Entretanto, além do grupo, Carlos Balbino criou uma escola de Cante Alentejano que ensaia uma vez por semana, na Maison du Portugal­André de Gouveia, na CitéUniversitaire, em Paris.O cante alentejano, canto coletivo sem recurso a instrumentos, foi classificado hátrês anos, a 27 de novembro de 2014, como Património Cultural Imaterial da Humanidade,pela UNESCO, graças a uma candidatura apresentada pela Câmara de Serpa e pela Entidade Regional de Turismo do Alentejo e Ribatejo.

Partilhar.

Comments are closed.