Portugal bate Ucrânia e garante primeiro lugar do grupo

0

A seleção portuguesa de futsal bateu hoje a Ucrânia por 5-3, no segundo e último jogo do Grupo C do Europeu de 2018, a decorrer em Ljubljana, Eslovénia, garantindo a vitória na ‘poule’.

Depois da vitória por 4-1 sobre a Roménia, a formação das ‘quinas’, que já estava apurada, somou os seis pontos possíveis e garantiu o triunfo com tentos de Bruno Coelho (2.18 minutos), Tiago Brito (12.22), Pedro Cary (33.13), Nilson (35.30) e Ricardinho (36.16).

A Ucrânia, que já se tinha apurado com uma vitória sobre a Roménia (3-2), conseguiu recuperar de 2-0 para 2-2, graças a golos de Razuvanov (28.00) e Korolyshyn (31.59), mas acabou por sair derrotada, de nada valendo o 5-3, por Shoturma (39.44).

Com a vitória, Portugal fica à espera do desfecho do Grupo D, do qual sairá o adversário nos quartos de final, na terça-feira, sendo que poderá ser o Azerbaijão, já qualificado, a campeã em título Espanha, equipas que hoje se defrontam pelas 19:45, ou a França.

À semelhança do primeiro jogo, com a Roménia (4-1), Portugal entrou muito forte e ofensivo, com Bruno Coelho a ter duas oportunidades de marcar antes de abrir o ativo, a passe de João Matos, aos 2.18 minutos, num golo madrugador que recompensou o ‘arrojo’ português.

Perante uma Ucrânia com dificuldades em atacar de forma coletiva, a equipa lusa procurava o segundo golo, com Pany Varela a quase forçar Grytsyna a um autogolo, mas a bola bateu na barra.

Aos 12.22 minutos, Tiago Brito fez o 2-0, um golaço, ao rodar sobre um adversário antes de rematar, de fora da área, para dar maior segurança ao resultado luso.

Ricardinho, num remate de ‘letra’ defendido por Ivanyak, tentou o 3-0, mas o intervalo ia chegar sem que Portugal conseguisse concretizar numa vantagem mais alargada o domínio que teve nos primeiros 20 minutos.

No segundo tempo, a Ucrânia entrou melhor e mais pressionante, criando mais perigo para Bebé, que entrou ainda no primeiro tempo devido a uma lesão de André Sousa.

Depois da formação de Jorge Braz falhar várias oportunidades, foram os ucranianos a conseguirem reduzir, num golo de Razuvanov, aos 28 minutos, num remate já dentro da área.

Portugal ‘acordou’ e rapidamente voltou a criar perigo, com Pany Varela a obrigar Ivanyak a duas defesas apertadas, antes de Bebé negar o segundo golo de Razuvanov.

A Ucrânia empatou mesmo, quatro minutos depois, com Korolyshin a repor a igualdade no marcador, da mesma forma que já tinha acontecido no jogo com os romenos, que venceram por 3-2 depois de terem estado a perder por 2-0.

Na resposta, Tunha falhou o 3-2, pedindo penálti, com Pedro Cary a colocar Portugal de novo na frente, com um grande remate depois da assistência de Bruno Coelho, aos 33.13 minutos.

Pouco depois, a Ucrânia apostou em Shoturma como guarda-redes avançado, à procura de tentar vencer o jogo, o que permitiu a Nilson fazer o 4-2, a 30 metros de uma baliza ‘deserta’, o primeiro golo do atleta do Sporting de Braga pela seleção.

Ricardinho confirmou o domínio luso com o quinto golo, num bom ‘arranque’ de Fábio Cecílio, que cruzou rasteiro para o 130.º golo do ‘capitão’ pela seleção, antes de Shoturma fazer o 5-3 final, a 16 segundos do fim.

Jogo na Arena Stožice, em Ljubljana.

Ucrânia – Portugal, 3-5.

Ao intervalo: 0-2.

Marcadores:

0-1, Bruno Coelho, 2.18 minutos.

0-2, Tiago Brito, 12.22.

1-2, Razuvanov, 28.00.

2-2, Korolyshyn, 31.59.

2-3, Pedro Cary, 33.13.

2-4, Nilson, 35.30.

2-5, Ricardinho, 36.16.

3-5, Shoturma, 39.44.

Equipas:

– Ucrânia: Yevgen Ivanyak, Mykola Grytsyna, Serhiy Zhurba, Mykhailo Grytsyna e Mykola Bilotserkivets. Jogaram ainda Volodymyr Razuvanov, Andrii Khamdamov, Taras Korolyshyn, Ruslan Sheremeta, Petro Shoturma, Andrii Lysenko e Oleksandr Pediash.

Selecionador: Oleksandr Kosenko.

– Portugal: André Sousa, Pedro Cary, Bruno Coelho, João Matos e Ricardinho. Jogaram ainda Bebé (gr), André Coelho, Tunha, Nilson, Fábio Cecílio, Márcio, Pany Varela e Tiago Brito.

Selecionador: Jorge Braz.

Árbitros: Cédric Pelissier (França) e Timo Onatsu (Finlândia).

Ação disciplinar: Cartão amarelo para Fábio Cecílio (24.42 minutos).

Partilhar.

Comments are closed.