Art Paris Art Fair vai contar com uma galeria portuguesa

0

A galeria Carlos Carvalho Arte Contemporânea é a única representante portuguesa na feira Art Paris Art Fair, que vai decorrer de 05 a 08 de abril, no Grand Palais, na capital francesa.

O evento, que “cruza a exploração regional da arte europeia – do pós-guerra até aos dias de hoje – com um olhar cosmopolita sobre a criação contemporânea emergente”, vai reunir 142 galerias de 23 países, de acordo com a página internet da feira.

A galeria portuguesa vai participar na Art Paris Art Fair pela primeira vez e vai levar obras fotográficas do espanhol Manuel Vilariño e do alemão Roland Fischer e pinturas do brasileiro José Bechara e do português Manuel Caeiro.

“Para não ficarmos só presos à fotografia – visto que participamos na Paris Photo, na Photo London e na Photo Basel – apresentaremos fotografia mas também pintura nesta feira que é generalista. Levamos nomes consagrados e fazemos uma aposta forte no lado internacional da galeria”, disse à Lusa o galerista Carlos Carvalho.

Desde 2013, a Carlos Carvalho Arte Contemporânea tem participado no salão internacional de fotografia Paris Photo, no Grand Palais, e foi na última edição que recebeu o convite para participar na Art Paris Art Fair.

“Começamos a criar um corpo de clientes interessantes em Paris e também gente que vem a Paris. Sendo assim, e tendo em conta que nós queremos marcar uma posição em Paris não só na área da fotografia, mas também na área da pintura, entendemos por bem aceitar o convite e participar nesta feira generalista”, acrescentou.

Ainda que seja “um grande investimento e um grande esforço”, Carlos Carvalho sublinhou que a galeria “tem que aparecer” e destacou o prestígio do “espaço onde a feira decorre”, o Grand Palais.

No ‘stand’, a galeria vai expor “uma grande peça do Manuel Vilariño, duas fachadas de Roland Fischer, duas ou três pinturas do José Bechara e cinco pinturas de formatos médios de Manuel Caeiro”.

“Haverá uma ligação entre o Fischer e o Caeiro porque trabalham as formas que têm a ver com a arquitetura. O Manuel Vilariño é mais a paisagem e o Bechara é uma pintura mais abstrata, mais matéria. As ligações que eu faço ali são ligações a partir da qualidade e de serem artistas consagrados de vários países”, concluiu Carlos Carvalho.

Manuel Vilariño, nascido em 1952, foi Prémio Nacional de Fotografia em Espanha, em 2007, ano em que representou Espanha na 52.ª Bienal de Veneza.

José Bechara, nascido em 1957, tem obras presentes nas coleções da Culturgest, em Lisboa, do Centro Pompidou, em Paris, do Museu de Arte Moderna do Rio de Janeiro e do Museu de Arte Contemporânea de Niterói, entre outros.

Roland Fischer, nascido em 1958, é uma das figuras da fotografia contemporânea alemã, e em França expôs, por exemplo, no Musée d’Art Moderne de la Ville de Paris e no festival francês de fotografia de Arles.

Manuel Caeiro, nascido em 1975, tem exposto em vários países, como Estados Unidos, Alemanha, Espanha, Brasil e Bélgica, e está presente na coleção da Culturgest, em Lisboa, entre outras.

Partilhar.

Comments are closed.