A Portugal Magazine dá a voz, todos os meses, a várias pessoas da comunidade

0

Pergunta do mês…

Qual foi o acontecimento ou evento que mais o/a marcou em 2016? Porquê?

alice-machado

Alice Machado
Escritora

No dia 21 de dezembro fui com uma amiga pianista visitar, conversar, beijar e ler poesia, num lar, para humanos idosos, ou menos idosos, onde por vezes se tem a sensação que eles esperam no corredor, por detràs de uma porta secreta, o momento da despedida da Vida, olhos tristes, brilho de diamante, sorrisos também, lágrimas de saudade, de amor, de esperança ou mesmo já sem esperança, palavras, lindas, que me tocavam na alma, neste período natalício, tinham umas mãos bondosas, lindas, rugosas, ainda com o suor de tantos anos de trabalho, antes de alguém as levar para este lugar, terno, acolhedor, mas mergulhado numa solidão tão forte, solidão no meio de tantas gentes! Tudo se encontrava nesta grande sala de um belo edifício do Porto, que poderia ser em qualquer outro lugar… Falamos, depois dos tempos antigos, duros mas meigos, evocamos os filhos, os netos, a família que estava longe, fora de Portugal! Então sugiro uma ideia: ligar o skipe e os que desejavam podiam falar e ver alguns familiares, que alegria nos rostos daquelas mães, com a cara cheia de rugas, mas umas rugas perfeitas, traços da vida feita de amor e de cansaços. Num momento dado uma senhora vestida de preto, pegou no computador, uma maquina, fria, mas que lhe trazia a imagem da filha, do neto, ela beijava, e rebeijava o ecrã, enlaçava-o, com força como se estivesse a abraçar a família, a reencontrar o passado! O ecrã ficou lavado pelas lágrimas de alegria, de dor, e de espessa que corriam, saíam dos belos olhos, para escorregar naquela máquina! e não foi só uma, nem duas, nem três, foram tantas senhoras, tantos homens, a apertar aqueles computadores com a voz e os rostos dos que estão longe, mas sempre perto, dentro da alma! Foi uma bela noite, mas fiquei com o coração aos pedaços,! Pensei, creio mesmo que gritei uma vez fora daquela sala do Porto, o meu peito rebentava ! Via, o meu pais andar por todos os cantos do mundo, como um corpo desmembrado, tanta saudade, tanta separação, tanto Amor, longe, longe, e tantas mães que sofrem, choram lágrimas de sangue, mesmo sobre um ecrã de computador! meu Deus, tanta solidão, tanto tempo perdido! Sei que tudo isto não é nada de extraordinário, mas nesses dias onde a família se reúne, foi demais para a minha alma! deixei com essa gente um pouco de mim, das minha lágrimas, de todo o amor que lhes queria tanto ter transmitido, elas deram-me tanto! uma lição de vida, um olhar tão belo e tão grato, que ainda agora escrevendo nestas teclas, olhando para o meu computador, e para as torres das igrejas iluminadas do Porto, vejo como numa tela virtual e ao mesmo tempo tão real aquelas imagens de ternura, de saudades, de desespero, que vai bem além do tudo, não encontro as palavras justas, não sou capaz! oh! se pudesse aliviar uma parcela dessas saudades tão belas, tão puras, dignas de se juntarem à Estrela que levou os Reis magos até ao berço, onde o menino repousava…. quem sabe se esse menino não era parecido com aqueles que essas mães agora num lar, tinham tantas vezes embalado, tantas vezes beijado ! o Menino, os meninos são O Mesmo ! agora sei: as lágrimas que escorriam sobre o ecrã, chegaram até ao coração do Mundo, até à Luz, até à magia da noite de Natal!

 

herman-jose

Hermam José
Ator, Apresentador, Humorista

O acontecimento que mais me marcou, foi ter voltado à RTP com o programa que ambicionava fazer: um ‘patchwork’ de humor, música, culinária e entrevistas, feito a pensar no muito público que um pouco por todo o mundo me segue com carinho e atenção. Emocionante e irónico foi perceber há semanas depois de espetáculos em Melbourne e Sydney, que no outro lado de mundo os nossos concidadãos seguem o meu trabalho televisivo com mais atenção e gratidão do que ‘Cá Por Casa’… São pormenores como estes que dão sal à vida!

 

antonio-de-carvalho

Antonio Valente de Carvalho
Président de Casa do FC Porto de Paris

Pour moi l’année 2016 a été fortement marquée par ses horribles attentats criminels en France et partout dans le monde. On veut absolument diviser les hommes à travers une pseudo guerre de religion. Perdre quelqu’un de proche est déjà horrible en soi, mais perdre une vie pour le plaisir de fanatiques barbares est encore plus insoutenable. Comment arriver à vivre notre quotidien de tous les jours quand on voit toute cette barbarie !!!! Nous nous battons déjà contre la maladie, contre la stupidité des accidents sur la route, et contre le mauvais sort, il faut encore que nous nous bâtions pour quoi ? Un bout de terre, Une religion, Une différence, Une sexualité, Une couleur de peau, Une divergence d’opinion, Une situation Et de l’argent? Quand j’entends certains hommes et femmes politique déclarer qu’il y a une différence de race !!!! La seule race que je connaisse est la race humaine dont nous faisons tous partie. Je m’aperçois au fil du temps que l’homme est de plus en plus égoïste, intolérant et irrespectueux des valeurs humaines. C’est malheureusement un profil triste que j’établis mais c’est le constat de notre société actuelle. Et je ne voudrai surtout pas une 3ème guerre mondiale, mais plutôt un ressaisissement de notre société. Alors soyons plus tolérant, échangeons nos idées paisiblement, sortons, ne soyons pas terré dans nos habitations à travers les jeux vidéo ou autres, lisons, cultivons nous, et surtout vivons !!!!!

 

joao-heitor

João Heitor Livreiro
Editor, sociólogo

Qual foi o caso, a ação ou pessoa no ano 2016 que mais me marcou em 2016? Não vou dizer que foram os mortos da Síria, é mais do que evidente. Não vou falar do Campeonato da Europa, a alegria ainda estala nos nossos corações. Vou circunscrever a três momentos que se passaram na Comunidade Portuguesa: – A inauguração da sala de teatro e eventos na Casa de Portugal – André Gouveia na Cité Universitaire de Paris. Graças à tenacidade da sua diretora Ana Paixão e à generosidade do empresário Cândido Faria, o sonho tornou-se realidade. Mais um espaço em Paris ao serviço das culturas portuguesa e lusófonas. Ana Paixão e o professor José Manuel Esteves têm programado ações culturais fora do comum. Sem orçamento, sem grandes ajudas institucionais, têm feito milagres culturais. Os portugueses e lusófonos ainda não se deram conta desta riqueza que nos caiu não do céu, mas da abnegação de uns poucos inaugura. – A inauguração do monumento à Memoria dos Emigrantes no Plateau de Champigny. Povo este que sai da lama do “bidonville” à procura de dignidade através do trabalho, das privações, do frio, do calor e, sobretudo, do amor dos pais desse bando de pardais (como diz Carlos do Carmo), em que o Valdemar e os Les Amis du Plateau foram protagonistas. – O fecho (provisório, espero eu) do LUSOFOLIE’S. Durante dois anos, foi um dos lugares pioneiros na cidade de Paris, onde o vinho, a cerveja, o café e o pastel de nata, o petisco conviviam com a cultura e, sobretudo, com o bem estar das pessoas.

 

maria-jose-lopes-sa-lecerf

Maria José Lopes Sá-Lecerf
Assessoria de imprensa cultural

É difícil resumir o ano de 2016 num só evento que me marcou. Foi um ano particularmente denso e negro no Mundo. Diria antes que o que me marcou foi a soma de todos estes acontecimentos importantes e chocantes e de uma simultaneidade vertiginosa. Um ano de divisão e de polarização, de mudanças terrestres, como se o planeta tivesse decidido falar mais alto e forte contra tanto desamor. As minorias contra as maiorias poderosas, a escolha entre se alinhar com a mentira ou a verdade. Conceber-se como humanidade é um processo doloroso, mas é necessário recusar as alternativas confortantes e sedutoras. E de forma muito pessoal, e de par com a minha grande e querida amiga de infância Ana Pessoa Mesquita, com quem partilho um longo e belo caminho de diálogo, o sentimento de finitude de ver, quase diariamente, os nossos ídolos, músicos, escritores, cientistas, atores… partir ! É esta finitude que nos impõe uma exigência – a valorização do saber que nos protegerá sempre!

nuno-barroso

Nuno Barroso
Músico, compositor, intérprete

Dentro de este ano de 2016 que agora se aproxima do fim, muitas foram as alegrias, as tristezas, as incertezas e até momentos de grande dúvida ! O regresso da tour com o novo e especial espectáculo com o regresso de Nuno Barroso&Alémmar trouxe muitas alegrias em diversos espectáculos! O meu novo show a solo Nuno Barroso de voz e piano chamado “uma noite ao luar ” também motivo de grandes alegrias passando por muitas cidades de Portugal e estrangeiro! A infeliz doença do meu pai trouxe muitas incertezas na família, o que nos trouxe enorme preocupação! A sua enorme cirurgia e recuperação trouxe luta e coragem também e reunificou a família ! Momentos difíceis que com muita força interior e fé fizeram parte deste ano de luta …voltando a mim, foi um ano de mudança, de transformações, de trabalho e de conquistas pessoais e de bastantes alegrias também! A nível profissional, a carreira como artista e cantor começa a ficar cada vez mais consolidada no panorama nacional musical, o que me deixa muito contente, o carinho do público que me recebe sempre com grandes ovações deixa me super contente, mas também tive momentos muito complicados onde pensei desistir de tudo isto pela qual luto há tanto tempo! Sou um guerreiro das palavras e da poesia, e das canções faço a minha vida ! Variados programas de tv, um cd a chegar para este novo ano de 2017, mas cada vez mais vejo um mundo ao meu redor baseado no materialismo sem profundidade, sem interesse na verdade das coisas, mas sim no que elas possam parecer, mais uma uma vez o ser humano parece preferir o parecer ao ser ! Eu continuo a acreditar que sermos reais e piros e sinceros é o melhor presente que podemos dar a toda a humanidade e até a nós próprios! … Voltando ao optimismo, o ano trouxe muitas e belas experiências desde viagens e lembranças que ficam para sempre guardadas na minha lembrança.Espero que o ano que se avizinha traga tudo de bom para todos nós portugueses em todo o lado do mundo! Para todas as comunidades espalhadas onde guardo muito carinho e amor em especial para Paris ! E toda a França! Um grande abraço e beijo. Do vosso cantor poeta português.Sempre ao vosso lado e onde se fala a língua de Camões.

Partilhar.

Comments are closed.